O corporativismo político dos vereadores de Araioses-MA (um por todos, todos por um e ninguém contra ninguém)

O corporativismo político é uma das práticas mais nefandas e abomináveis da política brasileira. Não que ele não exista em outros países ou em outras categorias profissionais. Mas não é do Congresso Nacional, nem das categorias profissionais que quero falar e sim da Câmara de Vereadores de Araioses que na sessão do dia 23 terça feira deu uma aula de corporativismo a população presente. No caso da vereadora “Flavia Holanda”, que fez uma declaração dizendo que: “o vereador Elson Nascimento Coutinho Silva –PSC, afirmou aos seus colegas vereadores após a sessão do dia 6/10/2017 em seu gabinete que levaria a julgamento na sessão do dia 10/10/2017 o pedido de afastamento do prefeito municipal de Araioses, o senhor Cristino Gonçalves de Araújo, independente de intimação da referida sessão ou da apresentação da defesa”.

Depois da declaração que caiu como uma bomba e foi um dos motivos para o desembargador Jamil de Miranda Gedeon Neto, suspender os trabalhos da Comissão Parlamentar de Inquérito – CPI que estaria apurando supostas irregularidades na gestão do prefeito de Araioses, entrou o famoso corporativismo dos nossos “respeitosos” e “corretos homens públicos” que nos bastidores sóbrios da política araiosense, acertaram entre eles, que a vereadora Flavia Holanda faria uma retratação. Pediria desculpas e assim fazia-se de inocente e ficaria como se nada tivesse acontecido.

A falta de DECORO PARLAMENTAR da vereadora Flavia Holanda, sequer foi debatido. Mesmo com objetivo de tentar, denegrir a imagem dos demais colegas. O que estamos assistindo é muita descaramento de todos os lados. E, para completar, ainda me vem gente defender o indefensável. Não sei se somos passivos demais ou estamos tão atônitos que ficarmos sem reação, à institucionalização da patifaria, da corrupção, da falta de decoro dos parlamentares. É o sujo falando do mal lavado. Tem um ditado popular que diz: “quem disso cuida, disso usa”. É hilário ver que a oposição de hoje é o governo de ontem querendo voltar ao poder amanhã. Como pode haver tanta desfaçatez neste jogo de cartas marcadas, de ensaio mal feito, de ações espúrias que fere não apenas o decoro, mas também insulta a inteligência do povo.

“Há apenas uma maneira de não receber críticas, não faça nada, não diga nada, não seja nada…” Aristóteles.

Lyra Sosa

Guerra da hipocrisia na esfera política em Araioses-MA

Que o governo do prefeito Cristino Gonçalves já é visto como o pior de Araioses, isso tudo mundo sabe! É possível contabilizar um saldo negativo na administração do Prefeito que prometeu mudar a realidade do município de Araioses, posso até citar algumas: Atraso de pagamento de salário de servidor público; falta de articulação com a classe política; falta de planejamento para execução de serviços emergenciais e necessários na área de infraestrutura; Nepotismo; desvio de dinheiro público; desorganização administrativa. São alguns fracassos obtidos até o momento e que já geraram um pedido de impeachment e despertam a ira da população nas ruas, na imprensa e nas redes sociais.

Mas também quero destacar a hipocrisia de alguns que estão fazendo oposição ao prefeito que tem o pior início de gestão da História do nosso Município.

A hipocrisia está reinando solta na esfera política em nossa Cidade. Há pessoas oposicionistas e oportunistas em Araioses de todos os tipos, para vários gostos, de várias personalidades, tem aqueles que olham para o Município com bons olhos, querem o bem de Araioses, tem os que apenas atiram pedras na gestão municipal tentando enganar o povo e tirar proveito político da situação.

Muitos destes opositores se estivessem empregados juntamente com seus familiares na atual gestão, não estariam reclamando mesmo sabendo que o Governo é péssimo. Poderia citar nomes de pessoas que eram defensoras dos fracos e dos oprimidos e hoje trabalham para esse governo corrupto.

Algumas estão tão acostumadas a mamar em teta da Prefeitura e agora faz oposição, por não estarem mamando nas tetas do Poder, inclusive Vereadores.

Vou terminar com essa frase de Herika Pabline “Prefiro andar com os loucos, considerados fora dos padrões, do que andar com os hipócritas e falsos, que são considerados normais”.

Lyra Sosa

A PERGUNTA QUE NÃO QUER CALAR Secretários municipais de Araioses são pagos para não fazerem nada?

Com a reforma constitucional promovida pela Emenda Constitucional n° 19/1998 que elevou os Secretários Municipais, a categoria de agentes políticos, os Secretários Municipais que eram considerados servidores públicos ocupantes de cargos em comissão, e cuja lei fixadora de sua remuneração era da competência exclusiva do Prefeito passou a ser de iniciativa da Câmara Municipal. Daí dizer-se que na atualidade os Secretários Municipais foram equiparados aos Secretários Estaduais e aos Ministros de Estados, posto que em termos de remuneração tais agentes passaram a receber subsídios fixos e maiores responsabilidades no comando da Administração.

A verdade é que na prática pouca coisa mudou, especialmente nos pequenos municípios como Araioses onde, por razões óbvias, o comando da administração municipal continua enfeixado nas mãos do Prefeito Cristino Gonçalves ou melhor na mãos da sua mulher Sônia. O fato é que o prefeito de Araioses norteia seus discursos alegando que a situação financeira do município está um caos e que a Prefeitura beira a falência. No entanto, são vários cargos no 1° escalão da Municipalidade, incluindo um secretário de comunicação que os araiosenses não sabem até hoje, para quem ele realmente trabalha se é para o governador Flávio Dino ou para a prefeitura de Araioses?

Os secretários do município recebem um alto salários se compararmos com de um professor com curso superior da rede municipal. Um docente ganha em média R$ 1.942,00 (um mil novecentos e quarenta e dois reais) mês, em quanto um secretário recebe entorno de R$ 4.500,00 (quatro mil e quinhentos reais) para não fazer nada. Ao ano, a Prefeitura gasta aproximadamente meio milhão de reais, em salários somente aos ocupantes de cargos no 1° escalão.

Não há irregularidades em tal ato, já que a lei dá o amparo, mas há total imoralidade.

Claro que a função que “deveria” ser desempenhada por eles têm suas responsabilidades e importâncias que até podem justificar estes valores. Porém, a maioria dos secretários do município de Araioses não têm autonomia para exercerem seus cargos e resolverem os problemas. São simplesmente fantoches

Lyra Sosa

Pedir a cassação de um prefeito envolvido com a corrupção é favor ou obrigação?

Nas redes sociais, percebemos um ou dois cidadãos agradecendo aos vereadores de Araioses, pela abertura de um processo de impeachment do prefeito CRISTINO GONÇALVES DE ARAUJO, como se fosse benesses dos mesmos e não do cumprimento de seus deveres.

Os araiosenses precisam aprender que vereador não faz favor. Cumpre a obrigação ou pelo menos deveria. Vereador não é autoridade, é Servidor Público! Eles são eleitos com voto do povo, deve representar a vontade do povo! São pagos com dinheiro do povo!

O trabalho realizado pelos poderes públicos, em qualquer instância e casa, seja ela municipal, estadual ou federal, não são favores concedidos, mas sim obrigação! Afinal, nossos representantes políticos se colocaram à disposição ao disputar um cargo eletivo e são muito bem remunerados.

“Vereador é um servidor público. Não devemos favor, idolatria ou agradecimento algum”. Fica a dica.

Lyra Sosa